Reabilitação Cardiovascular e Metabólica

As doenças cardiovasculares estão no ranking das principais causas de óbitos no Brasil e no mundo, constituindo assim um grande problema de saúde pública mundial, gerando muitos afastamentos e custos para instituições públicas e privadas.

Em um passado recente, os pacientes acometidos por infarto do miocárdio ou a cirurgias cardíacas eram orientados ao repouso absoluto, e após a alta hospitalar se encontravam debilitados e fisicamente mal condicionados, incapazes de retornar as atividades diárias e lazer. Assim os pacientes eram orientados a se manterem afastados de sua atividade de trabalho e muitos aposentavam-se precocemente, pois os danos decorrentes do infarto eram considerados irreversíveis.

Atualmente esse quadro mudou, graças a estudos científicos e prática clínica foi instituído o programa de Reabilitação Cardíaca que visa restituir a capacidade funcional dos indivíduos com distúrbio cardíaco o mais precoce possível, com o objetivo de devolver a capacidade de manter as atividades de vida diária e a modificar os aspectos que contribuem para a diminuição do risco de doenças cardíacas e agravamentos.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, reabilitação cardíaca é o somatório das atividades necessárias para garantir aos pacientes portadores de cardiopatia as melhores condições física, mental e social, de forma que eles consigam, pelo seu próprio empenho, reconquistar uma posição normal na comunidade e levar uma vida ativa e produtiva.

Estudos científicos concluem que com a Reabilitação Cardiovascular há uma significativa redução da morbimortalidade e melhora na qualidade de vida, reduzindo custos ao sistema de saúde e resultando também em melhor custo-benefício ao próprio indivíduo.

Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia, na reabilitação de portadores de cardiopatia existem duas estratégias básicas, uma prioriza apenas o exercício físico no processo e a outra vai além do exercício físico, trabalhando em conjunto com a remoção de fatores de risco desencadeantes como tabagismo, hábitos alimentares não adequados e controle do estresse. Os dois compreende um processo educativo no qual o paciente deve ter conhecimento da fisiopatologia de sua doença e sua relação com a atividade física, atividade sexual e trabalho, além de conhecimento sobre os fármacos em uso e o risco dos hábitos de vida irregular.

Deve-se salientar que as evidências científicas dão relevância ao treinamento físico, credenciando-o como uma das principais intervenções neste processo de reabilitação. As atividades elaboradas pelo fisioterapeuta são seguras e os benefícios abrangentes, melhorando qualidade de vida e proporcionando maior redução na mortalidade e morbidade cardíaca.

Os bons resultados têm sido documentados por estudos consistentes e de boa qualidade, com evidência científica da sua efetividade na prevenção de doenças cardiovasculares quando ocorre intervenção sobre os fatores de risco (obesidade, diabetes, hipertensão arterial, alterações nos níveis de colesterol e triglicérides) e no tratamento pré e pós-cirurgias cardíacas, infarto do miocárdio, insuficiência cardíaca, transplante cardíaco, doenças das válvulas e do miocárdio (músculo do coração).

Assim, nossa clínica de fisioterapia cardiovascular e metabólica foi elaborada pensando neste indivíduo que precisa de cuidados especiais. Temos um programa de tratamento elaborado por um profissional fisioterapeuta qualificado no assunto, visando a especificidade e a individualidade de cada paciente.

Nosso foco é em portadores de doenças do coração, pré e pós cirúrgicos e/ou fatores de risco cardiovasculares (obesos, diabéticos, hipertensos e indivíduos com alterações nos níveis de colesterol e triglicérides) que encontram-se nas fases 2 e 3 do processo reabilitativo.

Venha nos conhecer e sentir os benefícios que a fisioterapia pode lhe proporcionar no seu dia-a-dia.

Deixe um Comentário