FISIOTERAPIA GERIÁTRICA

O aumento atual do número de pessoas idosas, no Brasil e no mundo, não envolve somente maior atenção e cuidado no setor previdenciário, mas também a necessidade de melhorias na acessibilidade, devido a redução da mobilidade em muitos casos, e melhorias na área da saúde, por exemplo. Neste aspecto, focar nos níveis de promoção e prevenção de saúde torna-se, para esta população idosa, a melhor alternativa para manutenção de uma vida ativa, independente, e com maior qualidade de vida. Assim, a fisioterapia geriátrica é o ramo desta profissão que estuda os movimentos e a funcionalidade em pessoas idosas, e como citado anteriormente, garantir mobilidade e independência é um dos fatores que contribuem para uma vida mais feliz em uma idade mais madura. 

Sabemos que a partir de uma certa idade, as vezes não tão avançada, começam a aparecer algumas disfunções no nosso corpo, como dores na coluna, falta de condicionamento físico, aparecimento de fatores de risco para eventos cardiovasculares, e indisposição para a rotina diária. Neste momento a fisioterapia trabalha para evitar o aparecimento das doenças e suas sequelas, contribui para evitar possíveis eventos cardiovasculares, como infarto agudo do miocárdio e acidente vascular encefálico, e condições musculoesqueléticas, como osteoartrose. Porém, se a fase de promoção e prevenção não são mais a realidade do paciente, e as doenças estão presentes, os fisioterapeutas usam a reabilitação a fim de devolver ao paciente uma qualidade de vida e a mobilidade quanto possível. 

Desta forma, por meio de exercícios físicos, bem prescritos e monitorados, a fisioterapia geriátrica consegue trabalhar com pacientes que apresentam osteoartrose de joelho, por exemplo, até pacientes que necessitam de uma reabilitação cardíaca após algum evento cardiovascular. Ainda assim, não se pode deixar de citar outras possíveis atuações, como a prevenção de quedas em idosos, tema este que merece atenção pelos profissionais da área de saúde, pois as sequelas podem incluir inatividade, redução de atividades sociais, depressão, e claro, fraturas, necessidade de cirurgias, chances de infecção e complicações hospitalares, e em alguns casos até a morte do paciente. É válido ressaltar que estas quedas ocorrem devido ao envelhecimento de vários sistemas responsáveis pelo equilíbrio, como o sistema cardiovascular, muscular, ósseo, articular, e os sensoriais, como o vestibular e o visual. 

Por fim, concluímos que a fisioterapia geriátrica consegue trabalhar, tanto na prevenção como na reabilitação, atuando nos sistemas que apresentam alguma disfunção, muitas vezes devido ao próprio processo de envelhecimento.

Deixe um Comentário