Dor, Acupuntura e Fisioterapia

Hoje vamos falar sobre um mal que afeta todas as pessoas em algum momento de sua vida, a DOR. Ao longo da vida, nós passamos por vários episódios de dor física seja por uma trauma, um entorse de tornozelo ou chutar o pé da cama que são casos agudos e passageiros, ou uma dor mais complicada decorrente de alteração na estrutura corporal como hérnia de disco, cervicalgias, entre outras milhares de dores.

De acordo com a Associação Internacional para Estudo da Dor a definição de dor é “uma experiência sensorial e emocional desagradável resultante de reais ou potenciais problemas no tecido”. Portanto dor é um sinal do organismo para algo que está errado, é um alarme interno.

O problema é quando essa condição se perpetua e não vai embora, tornando-se crônica. A dor crônica é um problema generalizado que afeta milhões de pessoas de todas as idades, e pode levar a depressão e diminuir a qualidade de vida, afetando diretamente a vida pessoal e profissional. É definida como uma dor que dura além do normal da doença aguda ou ultrapassa o tempo esperado de cura, podendo continuar indefinidamente.

Dor crônica pode ser causada por diversas patologias como osteoartrite, artrite reumatoide, lombalgias, cefaleia, enxaqueca, síndrome dolorosa miofascial, fibromialgia, dor neuropática (neuralgia do trigêmeo ou pós herpética), condições crônica de uso excessivo (tendinites), entre outras. Muitas vezes essas condições patologias já estão em tratamento médico mas a queixa é que a dor não some, continua ali lembrando sua existência. O que não pode acontecer é achar normal sentir dor, ninguém é obrigado a conviver com este incomodo por toda a vida.

Para buscar bons resultados no tratamento da dor crônica muitas vezes necessitamos recorrer a formas além da medicamentosa para seu tratamento. Hoje temos diversas terapias complementares que focam no tratamento da dor, mas aqui vamos abordar a acupuntura e a fisioterapia.

A acupuntura promove um bem estar geral, relaxamento e reequilibra as energias do corpo, isso por que com os estímulos promovido pelas agulhas o organismo libera substancias químicas envolvidas nesse processo como serotonina e endorfinas, que atuam diretamente no mecanismo de sensação da dor.

De uma forma mais fisiológica, a acupuntura estimula o sistema nervoso que causa a liberação de substâncias neuroquímicas que influenciam no mecanismo homeostático do corpo. Esse estimulo físico interage com áreas do cérebro que são responsáveis por reconhecer a dor, por meio de nervos sensoriais periféricos que estão localizados nos músculos e pele, liberando endorfinas e outros fatores neuro-humorais como neuropeptideos Y e serotonina, alterando assim o processamento de dor no cérebro e na medula espinal.

Além disso a acupuntura promove um aumento na liberação de adenosina (propriedade anti-nocioceptiva), modula a rede límbico-paralimbica-neocortical, reduz inflamação através da liberação de indicadores vasculares e imunomoduladores e melhora a rigidez muscular por aumentar a microcirculação local, ajudando a diminuir o edema.

Assim com algumas poucas sessões de acupuntura já é possível observar os benefícios do tratamento. Dentro da acupuntura existem várias técnicas para auxiliar e otimizar os resultados como ventosaterapia, eletroacupuntura, laserterapia, gua sha, que abordaremos em outro dia.

Como citado no começo deste texto a dor é um mecanismo de alarme do corpo, portanto podemos amenizar a dor, mas também precisamos tratar a causa, e é ai que entra a fisioterapia, muitos problemas físicos são causados por desordem musculoesquelética, onde o fisioterapeuta é profissional qualificado para identificar e corrigir os distúrbios de ordem cineticofuncional.

Portanto para o tratamento da dor crônica, principalmente as de difícil resolução, uma combinação de terapias complementares como acupuntura, fisioterapia são fundamentais e obtém ótimos resultados, além do que podemos associar também uma nutrição adequada, tratamento psicológico, sempre pensando em obter os melhores resultados e melhorar o máximo a qualidade de vida.

Deixe um Comentário